19.11.09 | Autor: Maria Augusta

A fotografia virou uma arte com "A" maiúsculo...a prova é que está se inaugurando hoje em Paris a "Paris Photo", que é para a fotografia o que a FIAC é para a arte contemporânea : uma grande feira representando os principais fotógrafos e galerias do mundo todo. Nela estão representadas 101 galerias, das quais 3/4 são estrangeiras, trazendo fotos antigas do século XIX, modern style, vintage, contemporâneo de ponta, fotoreportagem, fotos de moda, em modos de expressão tão diversos quanto negativos, calótipos, instantâneos sobre papel albuminado, numérico futurista, etc.

Lalla Essaydi mistura fotografia e caligrafia na série «As Mulheres de Marrocos».

Neste ano são homenageados os paises do "Oriente", com as fotos do mundo árabe e do Irã, que possuem fotógrafos prestigiosos representados por galerias dos paises orientais e também europeus. A Fundação árabe para a imagem que se situa em Beirute e que coordena o patrimônio fotográfico árabe também enviou uma parte de seu acervo, principalmente fotos dos séculos XIX e começo do século XX (clique na foto abaixo e depois nas seguintes para ver alguns exemplos).

Nesta feira são entregues também dois prêmios. O primeiro é o Prêmio BMW que tem como tema "Quando você viveu pela última vez uma experiência única?" A resposta foi dada em imagens de várias maneiras e algumaspodem ser vistas clicando na imagem abaixo e nas seguintes. Nas legendas há uma pequena explicação sobre a intenção do fotógrafo.


O outro prêmio conferido durante esta "Paris Photo" foi o dos "Concurso dos Jovens Talentos" que permite aos jovens talentos de serem exibidos na feira. O tema foi "Fronteiras" e também coloquei uma das séries concorrentes que pode ser acessada a partir da foto abaixo.

Mas fiquei me perguntando além da qualidade da foto, como ela pode ser avaliada monetariamente em função da possibilidade de reprodução. Funciona assim : as que são expostas nesta feira tem que respeitar um limite de 10 exemplares e ser assinadas pelo autor. No entanto as galerias estão pressionando os fotógrafos para aumentar o número de tiragens e assim abaixar o preço para que elas alcancem um público mais amplo. Aconselha-se aos colecionadores iniciantes que eles apostem nos talentos emergentes e que escolham uma galeria para "guiá-los". Alguns exemplos de preço? Na Galeria Lumas os preços das tiragens a 100 exemplares variam de aproximadamente 500 a 5000 euros segundo o artista, com uma maioria abaixo de 1000 euros...mas as desta feira podem subir a preços muito mais altos.

Mais algumas fotos da "Paris Photo" deste ano, sempre no mesmo esquema, clicando e avançando,para quem gosta de belas fotos, vale a pena vê-las e também o site do evento (aqui).


Categoria: , |
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

19 comentários :

On 19 de novembro de 2009 10:01 , Georgia disse...

Bom dia Maria Augusta, tudo bem?

Eu gosto demais de fotografia.
Sempre quis fazer um curso, mas ainda nao o fiz por falta mesmo de tempo.
Admiro quem faz um trabalho desses. Mas também acho os precos alto demais. Entao fica só no olhar e achar bonito, conhecer o fotógrafo, admirar mesmo a beleza que ele fotografou e nada mais, rs.

Um grande beijo

 
On 19 de novembro de 2009 10:38 , Eduardo P.L disse...

Oportuna e muito interessante, mais esse post/reportagem da França!Material para nosso Pé de Moça, e muito mais!
Parabéns, mais uma vez!
Concordo com você. A FOTOGRAFIA esta adquirindo um status muito importante no mundo das artes. Curiosamente, depois de sua banalização, via celulares e relogios e canetas que fotografam...

 
On 19 de novembro de 2009 10:47 , Eduardo P.L disse...

Maria Augusta,

detesto quando os comentaristas vem fazer publicidade de suas postagens e de seus blogs. Não há nada mais "detestavel" no comportamento dos blogueiros que isso, mas há situações, como a presente, que é preciso ajudar ao dono do blog, saber onde esta sendo citado:

http://pedemoca.blogspot.com/

Bjs e desde já minhas escusas pela grosseria!

 
On 19 de novembro de 2009 11:45 , Isabel-F. disse...

Gostei imenso ...

espero que esteja tudo bem contigo ...

beijinhos
isabel

 
On 19 de novembro de 2009 13:14 , Luma Rosa disse...

Me perderia em uma exposição desta! Mas os preços, são calculados para cobrir os custos de equipamentos, que são bem caros e a manutenção idem. Por isso muita diferença de preço entre a fotografia digital e analógica. É preciso colocar frente a frente o tempo de vida do obturador da câmera, a quantidade de filmes que seriam revelados, etc. fazendo o levantamento de quanto seria o custo final. Para você ter uma idéia de preço, uma Nikon D3x não sai por menos que R$ 35.300,00. Um obturador da câmera tem vida média de 150.000 cliques e se dividimos por 36 (quantidade de poses de um filme profissional)em sua vida útil queimaria 4166 rolos de filme. Profissionalmente é possível comprar um filme por R$ 5,00 o rolo + R$ 4,99 digitalização do negativo, Multiplique isto por 4166 rolos de filme por R$ 9,99 (revelação e digitalização) teremos o valor de R$ 41.618,34. A isto some o valor da câmera e teremos o custo total de R$ 49.482,84. Em cima deste valor, coloque o preço do 'talento'. Fiz cálculo por baixo, tá? (rs*)
Sempre foi caro fotografar!
Beijus,

 
On 19 de novembro de 2009 13:14 , ElmaCarneiro disse...

Antigamente as fotografias serviam para eternizar um momento e ainda são, mas hoje em dia para alguns fotógrafos ela pode se tornar numa obra de arte, porém nem todos conseguem dar esse sentido nelas e o resultado é o de uma fotografia de boa resolução boas cores e iluminação perfeita o que na maioria das vezes pode ser a soma de uma máquina de boa qualidade de última linha e muito $$$ e colocam atribuições artísticas nelas, o que não tem nada a ver.

Mas quando há a intenção de fazer arte, a gente nota a diferença. Lindíssimas as fotos mostradas e me impressionou a Mona Liza de Philsbury – arte e idéia – mas todas são de muita qualidade.
Quando vejo manifestações como essas, eu me encontro com os verdadeiros conceitos da arte que são os que devem prevalecer, porque são conceitos quem vem de encontro com o seu verdadeiro sentido.
Beijoo

 
On 19 de novembro de 2009 13:36 , entremares disse...

Maria Augusta...

Como amante da imagem e fotógrafo amador, fico sempre curioso e interessado quando o assunto versa a fotografia.

Esta exposição em concreto ainda é mais aliciante por ser temática.

( Sabia que a minha Elvas, apesar do seu diminuto tamanho, tem um belíssimo museu de fotografia? )

Um grande abraço
Rolando

 
On 19 de novembro de 2009 17:21 , Lunna disse...

Eu adoro fotografia Maria Augusta, tanto que um dos meus persoangens (o Giani) tinha predileção a fotografia.
Adorei a imagemdo rapaz no galho da árvore sobre o lago. Uma viagem, embora eu não queira nem imaginar como ele saiu dali. rs
Andei fotografando essa semana, tirei fotos de alguns lugares e aos pouco vou colocando no blog...
E vou aproveitar para responder essa pergunta lá no Teorias. rs
Eu acho engraçado como o oriente anda em foco ultimamente, na FLIP mesmo estavam sendo comentadas as fotos feitas por uma fotografa canadense das mulheres orientais... Será sinal de mundaças a caminho? hummm
Beijos

 
On 19 de novembro de 2009 23:09 , Maria Augusta disse...

Georgia, fotografar é tão bom, né? Não tenho muita paciência para ficar calculando e caprichando para obter um efeito, mas tenho uma boa intuição para fazer fotos diferentes. Também não coleciono (só as minhas rs) mas gosto muito de apreciar as obras desses artistas da fotografia.
Beijos.

Eduardo, é interessante mesmo a valorização aumentou simultaneamente com a banalização, talvez por haver mais pessoas se interessando pela fotografia.
Muito obrigada por ter citado este post lá no "Pé de Moça". Imagine, falar disto não é "grosseria", muito pelo contrario. E mesmo se não fosse para me anunciar a citação, pode falar de seus blogs aqui sempre que quiser, você sempre nos ajudou a divulgar os nossos.
Abraços.

Isabel, há quanto tempo! Legal vê-la de volta por aqui. Obrigada pela visita e um grande beijo.

Luma, muito obrigada pelos cálculos e pela precisão em relação aos preços das fotografias, um bom material é caríssimo mesmo. E além disto estes fotógrafos artistas vão buscar as fotos em paises longínquos e isto encarece ainda mais o trabalho.
Beijos.

Elma, realmente a fotografia deixou de ser simplesmente uma reprodução de imagens para perpetuar um momento e passou a ser considerada como arte, com finalidade de provocar emoções...e ela se presta muito bem a isto.
Um beijão.

Rolando, o "olho do fotografo" conta muito, se ele tem um bom feeling as fotos podem ser bonitas mesmo sem um equipamento sofisticado. Espero que você mostre algumas de tuas fotos lá no "Entreartes".
Abraços.

Lunna, é mesmo, o Giani e um de seus filhos trabalhavam com fotografias. Quanto às fotos das mulheres orientais parecem que estão na moda, acredito que é pelo mistério que as envolve devido ao sistema de vida que imaginamos tão diferente do nosso.
Um grande beijo.

 
On 20 de novembro de 2009 00:04 , expressodalinha disse...

Quem me dera estar aí...

 
On 20 de novembro de 2009 10:10 , Marco disse...

Engraçado porque eu nunca gostei de fotografias, minha mãe sempre teve caixas e mais caixas com fotografias em casa, diversos álbum e nos últimos anos parecia ser uma forma dela manter sua memória ativa, ela estava sempre vendo as fotografias e mostrando muitas vezes para a mesma pessoa e sempre dizendo as mesmas coisas.
Mas eu nunca dei importância até ir com a Lu visitar uma galeria, não sei o que me chamou mais atenção, os detalhes que ela verificava nas fotos ou a possibilidade de ver algo ali parado na minha frente.
Ainda bem que a gente para em algum momento para dar atenção as coisas.É como se alguém dissesse, para e presta mais atenção porque a fotografia está lá, em estado de espera. Gosto muito de fotografias de paisagens e do Patrick.
O oriente está em seu momento chave, não acha? As mulheres são um mistério por causa das limitações e a luta de cada uma delas para conseguir sair da limitação imposta a elas e ao mesmo tempo é um lado desconhecido pela maioria e que representa muitos mistérios. Grande abraço e parabéns por mais um post muito interessante.

 
On 20 de novembro de 2009 10:59 , Tertúlias... disse...

Bem, fotografia sempre foi Arte com A maiúsculo...

 
On 20 de novembro de 2009 10:59 , Tertúlias... disse...

Bem, fotografia sempre foi Arte com A maiúsculo...

 
On 20 de novembro de 2009 13:38 , João Menéres disse...

Super.postagem esta tua,MARIA AUGUSTA !
Paris, desde há muito, que é um centro muito importante para a divulgação da Fotografis .
Recordo que há mais de 30 anos, NOVEMBRO é o Mês de Fotografia.
Em 1979, fiquei ESPANTADO com os out-doors espalhados por toda a cidade anunciando (e mostrando) esse acontecimento!
Aí, convenci-me que a Fotografia tinha já o estatuto de uma forma de Arte e como tal estava a ser levada muito a sério por galeristas e museus.

Nesta brilhante postagem, estás a contribuir para que muitas pessoas a passem a encarar mais seriamente.
É fundamental que se crie uma cultura da Fotografia.
Muitos são os países em que tal ainda não se exprime com um verdadeiro sentido de missão.

Pessoalmente, o meu gosto recai no conjunto de imagens que apresentas do Prémio BMW. Embora de autores de diferentes origens, tem uma linha que a todas as liga.

Estou muito grato por esta tua postagem.

Graças a ti (e ao ROLANDO PALMA, claro está) fiquei a saber que ELVAS tem um Museu de Fotografia! Na primeira oportunidade, não deixarei de o visitar.

Um beijo, MARIA AUGUSTA.

 
On 20 de novembro de 2009 22:30 , sonia a. mascaro disse...

Maria Augusta, gostei muito de ver todas as fotos que você postou, mas duas delas foram as minhas preferidas, a de "Stephane Couturier, Barcelona" e a foto de "Lalla Essaydi", que você colocou no início deste post. Visitei também o site do "Paris Photo" e vi que é um programa fascinante para quem gosta de fotografia e que iríamos precisar de vários dias para apreciar os trabalhos de 500 fotógrafos internacionais.
Você como sempre nos proporcionando ótimas leituras e imagens!
Beijos e um alegre final de semana.

 
On 21 de novembro de 2009 03:01 , João Menéres disse...

Sem alterar o que deixei escrito ontem, ESTOU EM ABSOLUTO ACORDO COM A SONIA MASCARO.
Sobretudo a de STEPHANE COUTURIER já me tinha impressionado extraordinariamente !


Beijos.

 
On 21 de novembro de 2009 13:47 , Regina d'Ávila disse...

Amiga,

Realmente fantásticas!!
Sim...Arte com todas as cores, formas...
Pena que estou tão distante..haha
Parabéns pelo post..sensacional!

Super beijos,
Lindo fim de semana,
Rê.

 
On 21 de novembro de 2009 16:47 , Allan Robert P. J. disse...

A fotografia, para mim, sempre foi uma arte. É preciso técnica - que muitas vezes só são percebidas por outros fotógrafos - ocasiã e, acima de tudo, a capacidade do bom observador. Estou voltando - aos poucos - a fotografar, que um dia já foi mais que um simples hobby. Mas já faz tanto tempo...

 
On 23 de novembro de 2009 10:16 , Maria Augusta disse...

Jorge, eu também não fui a Paris para ver esta exposição, mas foi tão comentada que temos acesso a tudo que foi mostrado nela felizmente.
Abraços.

Marco, as fotografias serviam (e ainda servem) principalmente para gravar nossos momentos familiares e importantes. Mas deu um grande passo à frente com a chegada das câmeras digitais, agora se tornou mais fazer fazer experimentações com as imagens e obter verdadeiras obras de arte.
Quanto às mulheres do oriente para nós são realmente um mistério, imaginamos como elas conseguem viver sem a liberdade que temos.
Um abração.

Tertulias, fotografia sempre foi arte com "A" maiúsculo, e o reconhecimento disto esta cada vez maior.
Abraços.

João, que bom que você gostou, sendo o grande fotógrafo que é tua visão deste mundo é mais ampla que a minha, certamente. Não sabia que Paris tinha esta cultura da fotografia desde os anos 70. E que bom que descobrimos este museu da fotografia em Elvas graças ao Rolando.
Um abração.

Sonia, esta foto que você e o João plebiscitaram é muito bonita mesmo, também adoro cenas urbanas.
Beijos.

Regina, fico contente que estas fotos agradaram teu olhar de artista.
Um grande beijo.

Allan, tem razão, alguns detalhes técnicos só são percebidos por outros fotógrafos. Com os recursos atuais acho que fotografar pode nos trazer mais prazer que antigamente.
Um abração.