2.5.09 | Autor: Maria Augusta

Photobucket

Quando eu era pequena acreditava em cegonha...até jurei que a vi com o cestinho trazendo meu irmão quando ele nasceu...depois que soube como nasciam os bebês passei a considerar a cegonha como um animal meio mítico, como o dragão, a fênix, que só existiam na nossa imaginação. Até que vim para a Europa, aqui soube que elas existem realmente, são até o emblema de regiões como a Alsácia (dizem que quando uma cegonha pousa sobre uma chaminé é sinal de sorte, ela traz fertilidade, saúde, riqueza, proteção contra as tempestades)...mas não as tinha visto de perto até no último domingo de Páscoa, quando visitando um parque nesta região elas estavam em todo lugar: sobre as árvores, cruzando os céus, namorando, alimentando os filhotinhos...

Photobucket

Era um belo espetáculo, mas elas não estão sempre no mesmo lugar, são Photobucketpássaros migradores. Quando o inverno se aproxima elas deixam a Alsácia e seguindo duas rotas diferentes (imagem à esquerda) se dirigem para paragens mais quentes, em busca de alimentos. Algumas cegonhas tomam a direção da Espanha e alcançam a África passando pelo estreito de Gibraltar (esta rota é a mais recente, atribuida ao aquecimento climático), outras voam em direção do leste da África, percorrendo no total cerca de 12000 Km, entre a ida e a volta. Elas partem no final do mês de agosto passam os meses de inverno do hemisfério norte nestas paragens e depois fazem a viagem de volta, chegando na Alsácia entre fevereiro e abril. Atualmente estes vôos são monitorados e seguidos via satélite.

Photobucket

De volta para casa elas vão cuidar de seus ninhos. Os machos chegam primeiro e reparam os ninhos e os mais jovens o constroem. Em seguida chegam as fêmeas, e antes do acasalamento, elas realizam danças batendo o bico ruidosamente. Depois elas põem os ovos, de 4 a 6 por ninhada, e os chocam durante 34 dias, sendo que o macho e a fêmea se revezam nesta tarefa (mas à noite são so as fêmeas que chocam...). O filhotinho nasce com um peso de ~75 gramas, sem penas e seu bico é preto. Ele atinge a maturidade aos 3 anos, e começam então a migrar com os mais velhos.

Photobucket

No entanto, estes périplos não são isentos de perigos...muitas são capturadas por redes elétricas, outras são caçadas na África, ou ainda são envenenadas pelos pesticidas das lavouras e não voltam nunca mais...assim a população de cegonhas na Alsácia estava diminuindo drasticamente, entre 1950 e 1974, elas passaram de 148 a 9 casais. Foi então que certas comunidades criaram condições para que elas possam ficar durante o inverno, fornecendo alimentos durante os meses frios, em centros de reintrodução (depois de 3 anos sem migrar elas perdem o instinto de partir). Desta forma, "artificialmente", eles conseguiram aumentar novamente o número de cegonhas na região, unindo a população migradora à "sedentária", e a população atual é em torno de 430 casais.

Photobucket

Nesta reintrodução se operou novamente a interação entre o homem e a natureza, podemos dizer que foi um sucesso, pois a cegonha foi salva da extinção, pelo menos na região...o preço foi que muitas delas perderam um instinto natural, o da migração. Mas dos males o menor, não é mesmo?

Ficha técnica :

Ciconia ciconia (cegonha branca)

  • Comprimento : 95 à 100 cm
  • Envergadura : 185 à 205 cm
  • Come vários pequenos animais : rãs, serpentes, peixes, roedores, pássaros, etc.

Este post faz parte da blogagem coletiva "Ecological Day" promovida pela Sonia do "Leituras" e pela Elma do "Caliandra do Cerrado" que ocorre no segundo dia de cada mês. Participe!


Photobucket


Categoria: , |
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

17 comentários :

On 2 de maio de 2009 11:44 , Allan Robert P. J. disse...

Na Itália existem algumas cidades que todos os anos são invadidas pelas cegonhas. No início muita gente procurava espantá-las e destruir os ninhos. Agora descobriram que as aves são atrações turísticas; muitas vezes a mais importante fonte de renda do lugar.

 
On 2 de maio de 2009 13:18 , GRACE oLSSON disse...

MARIA AUGUSTA, POST INTERESSANTE O SEU.
Olha, a Suécia foi invadida pelas cegonhas semana passada. Elas abandonam a eSCANDINÁVIA próximo de novembro quando o inverno rigoroso se aproximam. Em marco, elas estavam em Portugal. E creio que ja vinha DA áFRICA.
DIAS FELIZES

 
On 2 de maio de 2009 14:24 , Elma Carneiro disse...

Bom dia Maria Augusta.
Muito boa e informativa sua postagem sobre as cegonhas, e muita coisa eu ainda não sabia.
Uma linda, completa e bem ilustrada postagem. Nota-se o seu capricho, zelo e relevância dada a esse evento sobre a ecologia.
Pena que as cegonhas perderam o instindo natural da migração, mas como você disse... dos males, o menor.
Obrigada pela sua sempre presença no Ecological Day, como também pelo seu comentario no Caliandra.
Sonia e eu agradecemos.
Beijos.

 
On 2 de maio de 2009 15:24 , Gaspar de Jesus disse...

Excelente participação!
As cegonhas são uma ave maravilhosa!
Temos muitas cá no Centro e Sul de Portugal.
Parabéns
Obrigado pela visita.
Bjs
G.J.

 
On 2 de maio de 2009 15:31 , cirandeira disse...

Oi Maria Augusta,muito ilustrativa, cheia de informações e de muita plasticidade, a sua postagem.Acho que sabemos muito pouco sobre essa ave que habita o nosso imaginário.Talvez porque não exista por aqui.O interessante é que mesmo assim, existe até uma marchinha de carnaval: " ai, ai, dona cegonha, saiu risonha pra trabalhar...voltou danada de encabulada, ninguém quer nada com a cegonha;ela trabalhava noite e dia, não encalhava mercadoria, mas a carestia está medonha, ninguém quer nada com a cegonha... Curiosamente, é uma ave que está associada ao nascimento, à procriação. Será apenas por causa da bolsa que ela carrega no bico?
Um grande abraço e parabéns por sua linda contribuição.

 
On 2 de maio de 2009 15:36 , sonia a. mascaro disse...

Maria Augusta, eu também acho a cegonha um pássaro lindo, mas nunca as vi pessoalmente... tenho inclusive alguns vídeos que gravei do National Geographic e Discovery sobre elas. Fico admirada com os seus ninhos encarapitados em árvores e torres.
Muito bonito o seu post! Obrigada por sua participação!
Beijos.

PS: Agradeço também ao "Leão" por ter prorrogado o prazo da declaração!

 
On 2 de maio de 2009 16:30 , Eduardo P.L disse...

Maria Augusta,

eu ACREDITO!
No Marrocos vimos muitas cegonhas!

Bjs e parabéns pela participação!

 
On 2 de maio de 2009 21:32 , Mírian Mondon disse...

Que lindo historia voce me contou sobre as cegonhas! Excelente texto repleto de informação!

Ainda estou meditando numa informação nova para mim, que apos tres anos 'sur place' elas perdem o instinto migratorio! O paralelo com a imigraçao humana me surpreendeu, no Canada por exemplo onde existe uma politica de imigraçao bem estruturada, os especialistas concluiram que são precisos tres anos para o novo imigrante se integrar completamente, e aconselham os mesmos a não desistirem antes de 3 anos!
Achei muito interessante saber que com esses belos passaros dá-se um fenomeno semelhante!

Gostei muito dessa leitura!
Abraços e mais uma vez parabens!

 
On 3 de maio de 2009 00:07 , Dora disse...

Augusta! Nunca vi uma cegonha de verdade! Cansei de vê-las em ilustrações!
Mas, a medida para impedir sua extinção me deixou bem desolada, com relação às que sofreram o cativeiro...É de ouvi-las se perguntando( se pudessem...rs): por que nós?
Sua postagem, como sempre, muito bem confeccionada, no talento, no carinho e no cuidado!
Beijo você, com afeto!
Dora

 
On 3 de maio de 2009 15:26 , disse...

Maria Augusta..mais uma aula! A imagem da cegonha com o lençol amarrado ao bico com um bebê dentro,marcou minha infância...era o logotipo da loja de roupas de criança de minha tia aqui em São Paulo.Muito interessante saber tudo isto..e que bom que conseguimos interagir para preservar.
beijos e ótimo domingo.

 
On 3 de maio de 2009 16:20 , Compondo o olhar ... disse...

amei sua postagem!!! parabens, bela participação desta blogagem coletiva.

bjocas

ps:tbm estou participando, passa lá para dar uma olhadinha!!!

 
On 3 de maio de 2009 19:02 , Eduardo P.L disse...

Maria Augusta,

para ser Leal com o Mario, e para ser coerente com o nome do EX-BLOG, meu APOIO FRATERNO a ele, devo dizer que blogs podem deixar de existir, nunca ser DELETADOS! Por mais séria que seja a causa, não se deve DELETAR e TIRAR do AR um blog! É o que penso, respondendo sua pergunta!

 
On 3 de maio de 2009 20:31 , Celia disse...

Que interessante seu post M.Augusta. Aqui na Suecia elas aparecem de vez em quando. Sao bonitas.
Tenha uma boa semaninha. bj

 
On 4 de maio de 2009 10:59 , Meire disse...

Maria Augusta uma vez li que o nosso Tuiuiú é parente da cegonha, vc saberia dizer se é certa esta informaçao?
Bjs

 
On 4 de maio de 2009 13:56 , Marco disse...

Eu acredito sim nas cegonhas, acho que são pássaros belíssimos e até ouvi de alguém do porque dizerem que os bebes eram trazidos por elas. A Lu adora apreciar o vôo delas e das garças. Diz que elas lá do alto insultam-nos aqui embaixo. Coisa de poeta. Grande abraço

 
On 4 de maio de 2009 22:12 , Lunna Montez'zinny disse...

hahahahaha...
Mio amore me fez rir agora, mas é verdade, eu adoro apreciar o vôo das garças e das cegonhas. A garça tem mais graça, enquanto as cegonhas são desengonçadas e preguiçosas, gostam de voar sem bater as asas, sem fazer esforço. Mas são maravilhosas e sim, elas zombam de nós lá do alto...
Beijos carissima

 
On 8 de maio de 2009 15:45 , Georgia disse...

Maria Augusta, tem uma cidadezinha no sul da Alemanha que agora nao me lembro o nome, fica perto dos pais do Christian, depois vou perguntar. Lá a cidade é conhecida por ser o porto das cegonhas. Os ninhos sao enormes e até na torre da igreja tem. Existe uma festa de rua que já é tradicional e sempre que estamos lá nesta época passamos por lá.

Um lindo texto.