21.1.10 | Autor: Maria Augusta

Que coisa terrível esta catástrofe no Haiti, não é mesmo? Quando a natureza ergue a voz e nos mostra que é ela que tem a última palavra, podemos fazer muito pouco para nos proteger, como no caso desta cidade que foi praticamente varrida do mapa...mas não são apenas os fenômenos naturais que provocam o desaparecimento de cidades. Muitas vezes, espontaneamente ou forçada por circunstâncias diversas, a população parte de um lugar, e a cidade se torna uma "cidade-fantasma". Veja alguns casos (clique nas setas abaixo do texto para virar as páginas) :



Fonte : L'Internaute


Update (21/01/2010)

A Elma nos fala da cidade desaparecida de Pompéia e nos traz fotos de objetos nela encontrados :

"
...Observei que a maioria das cidades fantasmas, aconteceu pelas mãos do próprio homem e poucas por acidentes geográficos.
Lembrei-me de Pompéia, aquela rica tão famosa e próspera cidade da Itália que foi destruída pela erupção do Vesúvio em 79 d.C quando foi coberta pelas cinzas quentes e argamassa de até 2m de altura e em alguns locais com até 4m soterrando e matando quase todos os habitantes de surpresa, enterrando com eles toda uma riqueza cultural fabulosa.
Tenho um livro de artes sobre a beleza dos objetos: Jóias, paredes de afrescos, estátuas que foram descobertos pelas escavações.
Tirei algumas fotos do livro para lhe mostrar de jóias em ouro e pedras preciosas, pérolas etc estão no Museu Nacional Arqueólogo de Nápoles.
Não repare nas fotos mal tiradas e de má qualidade pois esse é o meu primeiro álbum na web. Adorei fazer e vou usar muito esse recurso que descobri hoje e não sei ainda como colocar legendas, mas eu chego lá.
Clique em Imagens Shack..."


Update (22/01/2010)

O Marco também comentou sobre uma cidade-fantasma que ele conheceu :

"Seu post me fez lembrar uma cidade brasileira que em 2006 estava a venda e só tinha um morador. Era uma vila construída há 35 anos para abrigar 120 operários da hidrelétrica de Jaguará, na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. Os funcionários foram demitidos e ficou a vila que a companhia energética de Minas tentou vender. A tal vila tinha espaço suficiente para abrigar 235 Maracanãs. Dá pra imaginar o tamanho?
E pelo que eu lembro só não era considerada cidade mesmo porque não tinha prefeitura, delegacia, hospital e fórum..."



Update 2 (22/01/2010)

A Luma também nos conta sobre duas cidades fantasmas :

"No Chile, temos a cidade fantasma de Sewell, encravada no meio dos Andes e a Mina El Teniente, a maior mina de cobre subterrânea do mundo, que é considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO.

Em Minas, onde fica a represa do Rio grande, o vilarejo de Quebra-Chifre está submerso, isto aconteceu na época da construção da represa em 1970 e está à 15m de profundidade. Uma cidade fantasma submersa onde os mergulhadores fazem mapeamentos pelo local, passeando na cidade dentro da água."
Categoria: , |
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

13 comentários :

On 21 de janeiro de 2010 17:42 , Tertúlias... disse...

Muito, muito interessante. Ótima postagem!!!!!!!

 
On 21 de janeiro de 2010 21:23 , Aninha Pontes disse...

Maria Augusta querida.
Saudades daqui, de seus posts tão bem elaborados.
Pois é, natureza assusta. Quando não é respeitada, principalmente. A resposta vem rápido e visível.
Uma tragédia no Haiti.
Tragédias agora em S Paulo, e outras virão.
As vezes sinto um pouco de vergonha, quando olho para os meus filhos, e agradeço a Deus, por tudo estar tão bem conosco.
Sinto um pouco de egoísmo meu nisso.
Um beijo meu bem.

 
On 21 de janeiro de 2010 21:30 , Eduardo P.L disse...

Coma a Natureza não se brinca! E o HOMEM ainda não aprendeu!

 
On 21 de janeiro de 2010 22:54 , ElmaCarneiro disse...

Olá querida Maria Augusta
Aos poucos estou voltando depois de um descanso e recebo como sempre seu comentário no meu Espaço das Artes. Valeu pelo incentivo e é claro com ele a sua opinião.
Observei que a maioria das cidades fantasmas, aconteceu pelas mãos do próprio homem e poucas por acidentes geográficos.
Lembrei-me de Pompéia, aquela rica tão famosa e próspera cidade da Itália que foi destruída pela erupção do Vesúvio em 79 d.C quando foi coberta pelas cinzas quentes e argamassa de até 2m de altura e em alguns locais com até 4m soterrando e matando quase todos os habitantes de surpresa, enterrando com eles toda uma riqueza cultural fabulosa.
Tenho um livro de artes sobre a beleza dos objetos: Jóias, paredes de afrescos, estátuas que foram descobertos pelas escavações.
Tirei algumas fotos do livro para lhe mostrar de jóias em ouro e pedras preciosas, pérolas etc estão no Museu Nacional Arqueólogo de Nápoles.
Não repare nas fotos mal tiradas e de má qualidade pois esse é o meu primeiro álbum na web. Adorei fazer e vou usar muito esse recurso que descobri hoje e não sei ainda como colocar legendas, mas eu chego lá.
Clique em Imagens Shack
Ótima e muito bem feita sua pesquisa para a postagem, até me entusiasmei com o tema :)
Beijooo

 
On 22 de janeiro de 2010 00:56 , Marco disse...

Seu post me fez lembrar uma cidade brasileira que em 2006 estava a venda e só tinha um morador. Era uma vila construída há 35 anos para abrigar 120 operários da hidrelétrica de Jaguará, na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. Os funcionários foram demitidos e ficou a vila que a companhia energética de Minas tentou vender. A tal vila tinha espaço suficiente para abrigar 235 Maracanãs. Dá pra imaginar o tamanho?
E pelo que eu lembro só não era considerada cidade mesmo porque não tinha prefeitura, delegacia, hospital e fórum.
Claro que há uma diferença entre seu post e essa minha lembrança, nesse caso não houve interferência da natureza. Mas cidades fantasmas são bem mais comum do que parece. Grande abraço

 
On 22 de janeiro de 2010 11:29 , Maria Augusta disse...

Tertúlias, obrigada pela visita e pelo gentil comentário.
Abraços.

Aninha, você não tem que se envergonhar por ficar contente porque seus filhos estão bem diante de tantas tragédias, não é egoismo, é um reflexo muito normal e muito humano. Eu também cada vez que ouço falar em uma tragédia penso primeiro nos meus entes queridos. Obrigada pela visita, sei que você anda muito ocupada com o trabalho.
Um beijão.

Eduardo, acho que os terremotos não são causados pela atividade humana, mas nos lembram que é a natureza que manda, devemos respeitá-la, você tem razão.
Abraços.

Elma, que bom que você voltou à blogosfera. Obrigada por lembrar de Pompéia, ja integrei seu comentário ao post. Legal que você vai trazer diaporamas de tuas fotos.
Um grande beijo.

Marco, tua informação tem tudo a ver com este post, que diz exatamente isto, nem todas as cidades-fantasmas foram causadas pela natureza, muitas vezes é devido a guerras ou problemas econômicos. Obrigada pela informação, vou integrar ao post.
Um abração.

 
On 22 de janeiro de 2010 16:43 , Luma Rosa disse...

No Chile, temos a cidade fantasma de Sewell, encravada no meio dos Andes e a Mina El Teniente, a maior mina de cobre subterrânea do mundo, que é considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO.

Em Minas, onde fica a represa do Rio grande, o vilarejo de Quebra-Chifre está submerso, isto aconteceu na época da construção da represa em 1970 e está à 15m de profundidade. Uma cidade fantasma submersa onde os mergulhadores fazem mapeamentos pelo local, passeando na cidade dentro da água.

Bom fim de semana! Beijus,

 
On 23 de janeiro de 2010 12:48 , Francy´s Oliva disse...

Eu nunca tinha ouvido falar nessas "cidades fantasmas", mas devem ser interessantes, mesmo aquelas que passaram a existir por causa de causas ditas naturais, desastres ou coisas assim.
Deve ser interessante visitar um lugar assim, fiquei curiosa mesmo para fazer isso. Beijitos e bom fim de semana

 
On 23 de janeiro de 2010 17:37 , Maria Augusta disse...

Luma, obrigada por nos trazer estas informações sobre estas cidades-fantasma, já foram incorporadas ao texto.
Um beijão.

Francy's, uma cidade abandonada guarda sempre um pouco da história de seus habitantes, deve ser fascinante mesmo.
Beijos e bom fim de semana.

 
On 24 de janeiro de 2010 13:07 , Wania disse...

Maria Augusta

Fiquei lendo teu post e imaginando quanta mémoria deve ter ficado imantada nestes locais. Deve ser coisa muito triste ter que abandonar tua cidade e deixar para trás a vida que se viveu ali, sem a chance de voltar!

Nada é por acaso, nem na natureza!

Ler-te sempre me acrescenta coisas boas... grata pela partilha!


Bon dimanche,
Bisous!

 
On 24 de janeiro de 2010 13:59 , sonia a. mascaro disse...

Que assunto mais interessante, Maria Augusta! Cada cidade "fantasma" ou abandonada certamente tem sua história e as causas desse abandono... Embora tristes, muitas imagens que você encontrou são bonitas e nos levam a imaginar tantas histórias, tantos enredos para cada uma delas...
Beijos e um ótimo domingo.

 
On 24 de janeiro de 2010 14:04 , sonia a. mascaro disse...

Voltei para acrescentar que apesar de você ter informado na legenda das fotos, as causas desse abandono, fica sempre a indagação do porquê que certos habitantes conseguiram superar as dificuldades e outros tiveram que desistir, abandonar suas casas, suas cidades...
Enfim, adorei o post!
Bjs.

 
On 27 de janeiro de 2010 14:11 , Lunna Guedes disse...

Que delícia ler sobre esse tema, em geral quando pensamos em cidades fantasmas a mente recorre a temas country com aquelas cidades desertas, tudo abandonado as pressas.
Legal ver esse outro lado, a questão de cidades usadas apenas para ser moradia temporário por funcionários. Isso lembra um pouco a história da Lapa aqui em São Paulo, pequisando, descobri que era um bairro de operários que começou a ser elitizado quando os operários foram embora.
Aqui hoje há diversos galpões abandonados que aos poucos vão sendo derrubados para erguer-se prédios no lugar deles. E lá se vai a história pelo ralo...
Enfim, isso também é São Paulo. Beijos carissima