9.2.10 | Autor: Maria Augusta

A aproximação do "Dia dos Namorados" daqui me fez lembrar desta foto. Quem não a conhece, não é mesmo? Trata-se dos "O beijo da Prefeitura", feita por Robert Doisneau em 1950. Muito do nosso imaginário sobre Paris, seus habitantes e suas ruas vem das imagens deste fotógrafo, pois este "pescador de imagens", como ele se definia, era considerado um fotógrafo da escola humanista, tendo realizado durante 50 anos milhares de retratos das pessoas simples de Paris e seus arredores...artesãos, operários, namorados, mendigos, meninos de rua, todos foram alvo de sua máquina fotográfica. Ele sabia espreitar o bom momento para captar os instantes que sugeriam o humor, a ironia, a nostalgia, a ternura. Ganhou muitos prêmios e publicou mais de trinta albuns, e neste momento em Paris, está acontecendo uma exposição chamada "Du métier à l'oeuvre", retraçando a evolução de seu trabalho de 1930 a 1966. Veja alguns dos clichês nela apresentados no diaporama abaixo, USE O FULLSCREEN, vale a pena (fonte aqui) :


Site da exposição aqui
Outra fonte : "Robert Doisneau, le pecheur d'images"
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

19 comentários :

On 9 de fevereiro de 2010 14:19 , João Menéres disse...

MARIA AUGUSTA

O diaporama não consegui ver.
Mas o site da exposição não falhou.
Já conhecia uma ou outra de uma exposição fantástica que houve há dois anos na Perfeitura de Paris.

Fila enorme na rua para poder entrar!
Fiquei entusiasmado, nem imaginas!

Um beijo.

 
On 9 de fevereiro de 2010 14:19 , João Menéres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
 
On 10 de fevereiro de 2010 10:14 , Maria Augusta disse...

João, felizmente que você conseguiu ver o site da exposição, o diaporama vem de lá. Verdade que cada vez que as fotos dele são expostas, é um grande sucesso, elas transmitem muita ternura em relação às pessoas.
Um abração e obrigada pela visita.

 
On 10 de fevereiro de 2010 10:47 , Georgia disse...

Maria Augusta, eu nao tive problemas em abrir o diaporama.

Nao o conhecia. Gostei muito das imagens até porque retrata o casual, creio ser esse o típico dele.

Gosto de imagem em preto e branco.

Posso imaginar o sucesso que nao faz uma exposicao dele. Pois, suas fotos tem uma precisao e firmeza impressionante.

Um grande beijo

 
On 10 de fevereiro de 2010 11:57 , Kovacs disse...

Maria Augusta você é realmente muito chic! Postar Robert Doisneau para o dia dos namorados é uma associação de muito bom gosto. Parabéns como sempre e a ferramenta de slide consegui visualizar bem.

 
On 11 de fevereiro de 2010 02:34 , sonia a. mascaro disse...

Tão linda e romântica essa foto!
Gostei do diaporama e do zoom em cada foto. Você está se superando a cada dia que passa!
Beijos.

 
On 11 de fevereiro de 2010 11:46 , Lunna disse...

Não me pergunte a razão, mas apreciar essas fotografias me fez lembrar de um poema que li ontem a noite de Lya Luft, permita-me divido-lo com seus olhos:

Tão sutilmente em tantos breves anos
foram se trocando sobre os muros
mais que desigualdades, semelhanças,
que aos poucos dois são um, sem que no entanto
deixem de ser plurais:
talvez as asas de um só anjo, inseparáveis.
Presenças, solidões que vão tecendo a vida,
o filho que se faz, uma árvore plantada,
o tempo gotejando do telhado.
Beleza perseguida a cada hora, para que não baixe
o pó de um cotidiano desencanto.
Tão fielmente adaptam-se as almas destes corpos
que uma em outra pode se trocar,
sem que alguém de fora o percebesse nunca

As fotografias também são poemas, não? Bacio

 
On 12 de fevereiro de 2010 00:40 , Diz disse...

Beleza- adorei as fotos- a do bj eu já conhecia, né?
Vc anda sumida... eu tb...
saudades.
Ando cansada. Minha mãe morrando comigo-83 a, difícil de+- enfim, vc sabe o que são estas coisas. C'est la vie.
Bjs Laura

 
On 12 de fevereiro de 2010 09:19 , Maria Augusta disse...

Georgia, ele capturava os instantes da vida real das pessoas simples no seu cotidiano, é a grande força do trabalho dele.
Um beijão para você.

Kovacs, este beijo é antológico, ideal para lembrar o "Dia dos Namorados".
Um abração.

Sonia, descobri este gadget com este post, ainda bem que a maioria está conseguindo abri-lo, a grande vantagem dele é que pode ser visto em "tela inteira" com boa qualidade.
Um beijão.

Lunna, que poema maravilhoso da Lya Luft, combina bem com estas fotos do dia-a-dia. Concordo com você, certas fotos também são poemas.
Um grande beijo.

Laura, é mesmo, mas ando meio apertada com o tempo. Entendo perfeitamente teu problema, mas como você disse "C'est la vie".
Um beijão.

 
On 12 de fevereiro de 2010 12:03 , entremares disse...

As gentes, as pessoas vulgares, despidas de poses... sempre foram os melhores modelos para retratar as emoções, não é?

Existe algo de sinceridade que a câmara capta, algo que nos diz:
" podia ser eu ali, podias ser tu".

Um grande abraço,
Rolando

 
On 12 de fevereiro de 2010 23:14 , Sandra disse...

São os melhores momentos> as oportunidades, muitas vezes são únicas..
Ele soube aproveitar muito bem..Linda foto e muito romantica..Assim como Paris.Embora não a conheço..
Parabéns..
Sandra

 
On 12 de fevereiro de 2010 23:22 , Sandra disse...

Hoje aprendi algo novo: diaporama..Nunca tinha ouvido falar nessa palavra. Mas consegui abrir e me encantei..
Lindas imagens..Parabéns Maria, mas uma vez, pelo trabalho aqui postado.
Sempre muito criteriosa.

Aproveito para agradecer o su carinho na Quinta..
Fiquei muito feliz, com o trabalho do Edu.
Carinhosamente,
Sandra

 
On 13 de fevereiro de 2010 17:53 , Allan Robert P. J. disse...

Boa lembrança e belas fotos. Bem no clima de San Valentino. :)

 
On 13 de fevereiro de 2010 21:48 , expressodalinha disse...

Grandes fotos. Deu vontade de ir a Paris.

 
On 14 de fevereiro de 2010 10:05 , Maria Augusta disse...

Rolando, realmente ele captou a espontaneidade das pessoas comuns, não são poses especiais para as fotos. Como você disse, "podia ser eu ali, podias ser tu".
Um grande abraço.

Sandra, obrigada pela visita, que bom que você descobriu os diaporamas aqui. Tua caricatura lá na "Vítima da Quinta" está uma perfeição, você teve razão para ficar empolgada.
Beijos.

Allan, este beijo mítico tem muito a ver com a festa de San Valentino e com os namorados, Doisneau soube captar este momento de ternura.
Abraços.

Jorge, em Paris sempre há coisas boas a serem vistas, com o fim do inverno pretendo ir lá mais vezes.
Um grande abraço.

 
On 14 de fevereiro de 2010 23:29 , Natália Augusto disse...

H+a muito que sou uma apaixonada pelo fotógrafo Robert Doineau. GOSTO de todas as suas fotografias, mas muito especialmente desta. Já a usei num post, creio.
Robert Doineau captou muito bem os parisienses e os farnceses. Como gostaria de ir agora a Paris, para ver a exposição!!!

Parabéns pelo blogue

 
On 14 de fevereiro de 2010 23:29 , Natália Augusto disse...

H+a muito que sou uma apaixonada pelo fotógrafo Robert Doineau. GOSTO de todas as suas fotografias, mas muito especialmente desta. Já a usei num post, creio.
Robert Doineau captou muito bem os parisienses e os farnceses. Como gostaria de ir agora a Paris, para ver a exposição!!!

Parabéns pelo blogue

 
On 14 de fevereiro de 2010 23:36 , sonia a. mascaro disse...

Passei para desejar um bom final de semana.
Aqui está um calorão! Imagino que você está passeando pela neve e também lendo um livro perto da lareira.
Beijos.

 
On 15 de fevereiro de 2010 09:16 , Maria Augusta disse...

Natália, são raros os fotógrafos que captam momentos assim, da vida cotidiana, em geral eles criam momentos de "glamour" em lugares de sonho, e em Paris cenários assim não faltam. Na minha opinião, este é seu grande mérito, fotografar a "verdadeira vida" dos parisienses. Obrigada pela visita e volte sempre.
Um beijo.

Sonia, realmente a cidade está coberta de neve, mas a rotina não muda muito, só as viagens pela estrada é que precisamos evitar pois se tornam perigosas.
Beijos.