24.4.10 | Autor: Maria Augusta

Pipa, papagaio, quadrado, pandorga, arraia...pouco importa o nome, ela nos faz sonhar rodopiando lá no céu. Dizem que foram os chineses que a inventaram por volta de 200 aC. e uma das suas primeiras aplicações foi militar (!) para transmitir mensagens a aliados, e parece que até Marco Polo a utilizou para atacar inimigos quando esteve na China, no que teria sido o primeiro ataque aéreo da história. Mais tarde ela se espalhou pelo mundo e adquiriu no Oriente um forte significado religioso e ritualístico, por exemplo uma pipa com um dragão traz a prosperidade, uma com uma coruja a sabedoria, ou ainda com uma tartaruga traz longa vida. Mas construir uma pipa é uma arte! E ela tem que ser caprichada, pois ela tem que subir, nada é mais triste que uma pipa no chão. Segundo os físicos "A relação entre a força do vento e a tensão da linha é a condição determinante para se empinar uma pipa". Mas depois que ela sobe, se faz círculos muito grandes, ou inclina para um lado ou tem vôo irregular, significa que ela precisa ser melhorada. Porque ela tem que obedecer a nosso comando e voar linda e graciosa lá no céu...como estas do campeonato de pipas que aconteceu em São Paulo na semana passada em frente ao Museu do Ipiranga:



Mas para que soltar pipas seja um prazer, é preciso seguir algumas regras de segurança :


Para saber mais sobre as pipas (fonte da maior parte das informações deste post) :

Portal de Pipas e Papagaios Silvio Voice

Para ver mais fotos sobre o campeonato no Museu do Ipiranga (fonte das fotos):

Portal UOL

Categoria: |
You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

14 comentários :

On 24 de abril de 2010 11:08 , Eduardo P.L disse...

Da China, passando pelas Américas, e chegando à Africa, que garoto não soltou pipas? E a quantas gerações?

 
On 24 de abril de 2010 11:39 , Lunna disse...

Fiquei pasma com essa, sim, eu aqui em São Paulo e não soube. Fazer o que? Perdi.
Enfim, nem tudo por aqui é muito bem divulgado mesmo e olha que eu recebo email da secretaria de turismo com todas as informações sobre eventos na cidade. Já vi que o "todas" deve vir acompanhada de quase. rs
Engraçado, já brinquei muito com esse brinquedo de crianças e adultos, rs, mas o que me lembro mesmo é de uma cena do filme Mary Poppins (final) em que todos os personagens acabam indo para a praça empinar papagaio. Tem até uma músiquinha. "Voa papagaio que assim eu me distraio, vá para a atmosfera, lá onde o céu te espera".
Bom fim de semana carissima, bacio

 
On 24 de abril de 2010 23:32 , jugioli disse...

Que beleza de pipas!!!!
bjs

 
On 25 de abril de 2010 08:42 , Maria Augusta disse...

Eduardo, é verdade, mas aqui nas cidades é raro vê-las, elas aparecem principalmente nas praias.
Abraços.

Lunna, bem lembrado o filme Mary Poppins, havia me esquecido desta cena. Quanto aos eventos em São Paulo, este eu achei no Portal da UOL.
Um beijão.

Jugioli, obrigada pela visita e um bom fim de semana para você.
Beijos.

 
On 25 de abril de 2010 13:44 , Celia disse...

Pipa, é uma coisa muito usada pela criancada. Lembro que eu trouxe uma pra Livia do Brasil, pois ela nao viajaria sem ela. Bom domingo.

 
On 25 de abril de 2010 19:45 , Georgia disse...

Eu soltei pipa e solto ainda por aqui com o daniel, mas elas nao sao iguais as do Brasil.

Boa recordacao.

O livro O cacador de pips narra uma cena fortíssima com meninos que soltaram pipas num capeonato. Já leu o livro?

Bom domingo

Um beijo

 
On 25 de abril de 2010 22:56 , Aninha Pontes disse...

Taí uma coisa, que nunca aprendi a fazer.
E em consequência disso, nem meus filhos nunca foram muito adeptos.
Só lamento, que a insegurança com os cortantes, apesar de tanto se falar, continue sem impunidade.
E, tiram-se a vida de muitas pessoas.
Mas, de qualquer forma, fica um colorido muito bonito nas férias da criançada, que escolhem a praia para se divertirem com suas pipas.
Um beijo querida.

 
On 25 de abril de 2010 23:16 , sonia a. mascaro disse...

Sempre achei lindo ver os papagaios serem empinados... Meus filhos adoravam fazer e também soltá-los aqui na represa... Papagaios e quadrados, é como falamos, talvez seja porque somos paulistanos.
Muito bonito o slide show.
Bom também o alerta, para evitar tragédias, com por exemplo, as linhas com acerol.

Estou aqui tentando me lembrar de um filme japonês em que a história falava de crianças e os seus papagaios... Se me lembrar volto aqui.
Beijos.

PS: Estive praticamente toda a semana com problemas de conexão... o técnico não soube descobrir o que era...

 
On 26 de abril de 2010 09:28 , Maria Augusta disse...

Georgia, ainda não li o livro, estou com a leitura atrasada, espero fazê-lo em breve.
Beijos.

Aninha, realmente o cerol é um problema grave. Aí na praia deve ser uma festa de cores quando se solta pipas...
Um beijão.

Sonia, estes problemas de conexão nos deixam loucos, aqui não é diferente tenho uma amiga que se debate há dois meses para tentar resolvê-lo. Me lembro que também dizíamos "quadrado" na minha infância. Quanto ao filme japonês, os orientais levam muito a sério as pipas...
Um grande beijo.

 
On 28 de abril de 2010 23:10 , expressodalinha disse...

O vento, lamento... Há um vento para todos os estados de espírito.
Este é o melhor!

 
On 30 de abril de 2010 08:44 , http://graceolsson.com/blog disse...

Acho que as pipas nos enviam de volta a um tempo que, sinceramente, nao volta mais.
dias felizes

 
On 30 de abril de 2010 15:39 , Maria Augusta disse...

Jorge, e a nossa imaginação voa com ele...
Abraços.

Grace, o tempo de empinar pipas não volta mais, mas nosso pensamento podem seguir o vôo delas no céu.
Um grande beijo.

 
On 10 de maio de 2010 16:55 , Marco disse...

Eu soltei muito papagaio com o meu pai e era costume ter dois porque um era só meu e outro era dele. Tempos bons da minha infância, a rua aqui de casa ainda era de terra e tinha bem menos casas que hoje. rs
Grande abraço

 
On 11 de maio de 2010 10:35 , Maria Augusta disse...

Marco, os papagaios nos trazem boas lembranças, é verdade.
Um abração.